Artigos de Opinião

Este artigo é um exercício de pensamento sobre a relação singular que cada um de nós tem com o dinheiro. A forma como construímos a relação com os nossos desejos espelha a nossa organização financeira. O dinheiro fala de nós. A particularidade do seu manuseamento revela como somos. Podemos ser mais reflexivos ou mais impulsivos, mais ou menos poupados ou gastadores.

Querido Diário, Hoje gostaria de te descrever um dia típico do meu trabalho como profissional de Recursos Humanos (RH), na Era da Digitalização e da Inteligência Artificial (IA). Parece-me importante deixar aqui registado a forma como, à data de hoje (e não num futuro assim tão distante e longínquo como poderíamos pensar), a IA está a transformar rapidamente o setor de RH, tornando-o mais eficiente, produtivo e orientado a dados. Habitualmente, começo o meu dia por consultar a caixa de entrada do e-mail, para verificar quais as novas mensagens ou pedidos de suporte dos colaboradores ou chefias. Tenho notado, no entanto, que o volume de mensagens tem decrescido, desde que dispomos de um Chatbot de RH, o qual foi programado para responder às perguntas comuns dos colaboradores sobre diversos assuntos laborais: políticas e procedimentos internos, benefícios, horários de trabalho, férias, entre outros. Desta forma, consigo libertar tempo, permitindo concentrar-me em tarefas mais estratégicas e complexas. Tenho também recebido feedback positivo relativo à experiência dos colaboradores, que conseguem obter mais rápida e precisamente as respostas às suas questões, a qualquer momento e em qualquer lugar. Em seguida, costumo aceder ao nosso Sistema de Informação de Recursos Humanos (SIRH), para consultar e gerir as minhas tarefas pendentes, através de apenas alguns cliques. Com base em dados, esta ferramenta consegue fornecer feedback em tempo real sobre o desempenho dos colaboradores, ajudar a identificar áreas de melhoria e recomendar cursos de formação personalizados, o que contribui para a melhoria das competências, produtividade e envolvimento da nossa força de trabalho. Esta tecnologia ajuda os nossos gestores a tomar decisões mais informadas sobre promoções, bónus e desenvolvimento de carreira. É também através deste SIRH que economizo bastante tempo, na medida em que todo o processo de recrutamento e seleção de candidatos pode ser automatizado. A plataforma de recrutamento trabalha com algoritmos que me ajudam a publicar vagas, a triar currículos, a agendar entrevistas ou a realizar entrevistas virtuais. Confesso que, também nesta área, costumo recorrer a um Chatbot de RH, o qual conduz entrevistas preliminares com os candidatos e avalia as suas competências e qualificações, através de perguntas pré-definidas. Utilizo igualmente uma funcionalidade de Machine Learning que me ajuda a escrever descrições de função mais atrativas e inclusivas. Ao longo do dia, poderei ainda ter que analisar dados de RH da empresa, de modo a determinar tendências e identificar áreas de melhoria, como o número de colaboradores, desempenho, salários e benefícios. Consigo criar relatórios com gráficos e tabelas visualmente atraentes, que destacam métricas consideradas críticas para o negócio, como a taxa de rotatividade dos colaboradores ou o tempo médio de preenchimento de vagas. Essas informações são depois usadas para melhorar os processos de RH e a tomada de decisões estratégicas. Antes de terminar o meu dia, se for requerido, poderei consultar a funcionalidade que nos permite recolher feedback dos colaboradores sobre a empresa, a cultura organizacional e a liderança. Isto permite-me ter insights frequentes sobre como os colaboradores se sentem em relação à empresa e identificar áreas e estratégias de otimização no âmbito do clima e cultura organizacionais. Querido Diário, com este relato pretendo ilustrar que as ferramentas de IA podem ser usadas para automatizar muitas tarefas diárias da gestão de pessoas. Contudo, é importante lembrar que a intervenção humana do profissional de RH é imprescindível, para interpretar os dados e tomar decisões estratégicas baseadas no contexto real. A utilização inteligente de ferramentas de IA pode ajudar a melhorar a eficiência e a eficácia do departamento de RH, mas elas não devem substituir completamente o trabalho humano. Torna-se cada vez mais evidente que a tecnologia assente em IA consegue proporcionar uma série de benefícios na forma como as empresas recrutam, selecionam, formam, avaliam e gerem as suas pessoas. Tudo isto, desde que as empresas adotem uma abordagem ética e transparente na utilização da IA, assegurando que esta tecnologia seja usada de forma justa e responsável. Porque a verdade está à vista: as empresas que conseguem incorporar com sucesso a tecnologia IA nos seus processos de RH têm uma vantagem competitiva em relação às empresas que o estejam a adiar ou que optem mesmo por não o fazer.

A incerteza e a complexidade aumentam a um ritmo significativo. Somos impactados por desafios diversos que tocam dimensões muito críticas das nossas vidas: paz, saúde, bem-estar, educação, ambiente, economia. Vivemos num mundo turbulento em que as pessoas se encontram sob uma enorme pressão. Os desafios carregam oportunidades, por vezes, dissimuladas. No entanto, como escreveu Solange Charas, “sob pressão, há pedras que se transformam em diamantes e outras que são reduzidas a pó”. A fragilidade e a volatilidade circundantes convidam ao autoconhecimento e à reinvenção, sendo para tal indispensável estarmos abertos à mudança e ao crescimento. A ansiedade em relação ao futuro paira no ar. Peter Drucker afirmou que “a melhor forma de prever o futuro, é criá-lo”. O Coaching ativa o poder de escolher, de atuar, de crescer e de construir o futuro no presente. O tempo é uma invenção. O passado são as histórias que nós contamos a nós próprios e aos outros e como contamos a história faz a diferença no sentir e influencia a nossa capacidade de aprender. O futuro é o tempo que não aconteceu, quando o futuro acontece é presente e logo a seguir é passado. No presente, vivemos a arte das possibilidades e podemos escolher que decisão tomar e como agir. Visualizamos futuros. Temos o poder de influenciar o futuro com as decisões e ações que tomamos no presente. O Coaching é sobre criar o futuro. Nós podemos relacionar-nos com o futuro a partir de um estado de espírito impregnado de angústia e de medo. Tal acarreta o risco de nos limitarmos a sobreviver. Podemos, também, relacionar-nos com o futuro a partir de um sentimento de esperança e de confiança, adquirindo, assim, a liberdade de imaginar o futuro e de explorar possibilidades. Tal capacita-nos para transformar a incerteza em oportunidade.

Começa a existir uma desmistificação do que é a IA (Inteligência Artificial) e finalmente as pessoas percebem que há utilidade na utilização desta tecnologia. Com os fortes investimentos de Elon Musk e mais recentemente da Microsoft, o assunto generalizou¬ se. Para isso muito contribuiu o ChatGPT, projetado para responder a consultas baseadas em texto e gerar respostas em linguagem natural e que tem estado nas bocas do mundo.

A sua privacidade é importante para nós

Os cookies neste site podem ser utilizados pela APG e pelos seus parceiros para melhorar a navegação e desempenho do site, analisar a sua utilização e possibilitar a criação de conteúdos de publicidade direcionada e de redes sociais. Por defeito, só os cookies estritamente necessários se encontram ativos. Para mais informação visite os nossos Termos de Utilização e Política de privacidade